…E o amor, também muda !

Tirado daqui: http://donoctavio.wordpress.com/2009/10/07/e-o-amor-tambm-muda/

Sempre preferi o termo “almas gêmeas” à “metade da laranja” ou “tampa da panela”, isso porque acredito, como já disse aqui, que se você precisa de alguém para se sentir completo, provavelmente está fadado a levar sua relação ao fracasso. Se você se sente meia-pessoa, o que terá para oferecer ao outro?

Elas são pessoas completas, que buscam outras pessoas completas. E, embora diferentes muitas vezes, são iguais no desejo de amar por inteiro, de conhecer por inteiro, de oferecer por inteiro. Dividem a opinião de que “estar junto” não é abrir mão de sua individualidade e personalidade, por isso são “almas gêmeas” , pois compartilham o mesmo desejo, a mesma vontade, e embora incrivelmente diferentes ás vezes, sabem que o segredo é compartilhar.

 Por isso fiquei impressionado quando li o seguinte texto:

* Mais mudanças à vista por Flávio Gikovate.

” Ocupando 60% das vagas nas universidades, as moças tomaram a dianteira. parecem estar mais dispostas do que os rapazes a trabalhar seriamente e se tornarem financeiramente independentes de seus eventuais parceiros. Hoje em dia, para elas, casar não é mais carreira.

Por outro lado, os rapazes estão folgando nos estudos e se concentrando cada vez mais na aparência física e no cultivo de seus músculos. Ainda não se sabe por que, mas parece que desistiram do papel de “príncipes encantados”, aqueles que despertavam admiração e amor por suas habilidades sociais e profissionais. Aliás, estão cada vez com menos pressa de se casar.

Acontece que a grande maioria das moças continua a sonhar com os “príncipes”, com homens fortes e protetores. Apesar de supercompetentes para a vida profissional, ainda não adequaram seus planos sentimentais à realidade, de modo que buscam parceiros mais habilitados do que elas. A maioria não irá encontrar.

O que fazer ? Os tempos são outros, por isso está na hora de “atualizar” o projeto sentimental. Os critérios que nos levam a admirar uma pessoa e por ela nos apaixonar podem se modificar. Se no passado eram valorizadas a competência profissional e as habilidades sociais, por que não se encantar por rapazes de bom caráter, sensíveis, confiáveis e com valores morais sólidos? Porque não fazer deles os novos “príncipes”.

O tipo de aliança também deverá ser atualizado. Sai a idéia de “fusão”, em que um é a tampa e o outro é a panela – que é a união complementar entre opostos. Sai a tese de que a “fusão” se dá entre as duas metades da laranja – que é a união de pessoas parecidas mais incompletas. Entre pessoas que lutam para serem independentes tem de prevalecer, para valer, a idéia de “almas gêmeas”, inteiros parecidos que se aproximam para compartilhar a vida. Que belas novas!”.

* Texto publicado na revista Gloss (Abril) n°20 maio/09.

Interessante não é?

Todo mundo falava sobre como o filme “Closer” é perfeito, na verdade a primeira vez que assisti não fez sentido algum, mas nunca me esqueço do momento em que Alice (Natalie Portman), pergunta a Dan (Jude Law) porque ele amava Anna (Julia Roberts) e ele responde que a amava justamente porque ela não precisava dele.

Alice era uma menina cheia de conflitos e insegura, que precisava de Dan para acalmar seus anseios, já Anna, o amava, simplesmente porque o amava, e é mais ou menos por aí…

2 Respostas to “…E o amor, também muda !”

  1. É verdade mesmo. Percebemos que cada vez mais o movimento das pessoas buscam um sentido mais equilibrado nas relações.

  2. Don Octávio Says:

    Obrigado pela citação!

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: