Eu odeio Halloween

Sempre gostei do mês de outubro. É primavera, tem o Dia das Crianças. Mas de alguns anos para cá tenho ficado muito irritada em outubro. Não é culpa do coitado do mês, que tem sido apenas uma vítima. Minha irritação é causada por abóboras, esqueletos, fantasmas e bruxas.

Não que esses seres monstruosos me assustem, eles me irritam mesmo. Lembro quando era criança e lia os quadrinhos do Disney. De vez em quando aparecia numa história o dia das bruxas. Era um tal de Huguinho, Zezinho e Luisinho se fantasiarem, escavarem caretas em abóboras e saírem batendo nas casas dizendo “gostosuras ou travessuras?”. Eu achava aquilo tão normal quanto ninguém ali ter pai ou mãe, só tios. Ou seja, aquilo estava muito longe da minha realidade, para mim só existia mesmo nas revistinhas do Disney. Monstro que me assustava era mesmo a Cuca, a Mula-sem-cabeça, o Lobisomem.

Vai daí que a classe média brasileira começou a fazer de Miami seu destino predileto nas férias e que as escolas de inglês resolveram importar as festas americanas. Pronto, foi o que bastou para que o tal do Halloween invadisse a terra das festas juninas e do saci-pererê.

Agora tem festa de Halloween pra tudo quanto é lado, o pessoal enfeita (enfeita?) a casa com abóboras e acho que nem sabe muito bem que está celebrando uma tradição celta. Fica a abóbora pela abóbora, a bruxa pela bruxa, sem significado nenhum. E o que é pior, tenho a impressão de que se não fizermos algumas coisa, o Halloween vai começar a ofuscar o nosso tão tradicional Dia das Crianças. Prestem atenção nisso, crianças!

Nada contra que os americanos comemorem o seu Halloween, faz parte de suas tradições, mas aquelas abóboras, decididamente, não têm nada a ver com a gente. Daqui a pouco vamos começar a assar peru no Dia de Ação de Graças.

Você pode me dizer que as paulistaníssimas festas de S. Gennaro e de Nossa Senhora Achiropita também não fazem parte de nossas tradições, que são italianas. E eu vou concordar. Só que vou lembrar, primeiro, que essas festas foram trazidas pela enorme colônia italiana, o que não é o caso do Halloween, e, segundo, que elas ficam lá quietinhas (maneira de dizer…), uma na Mooca, outra no Bixiga. Ou seja, se você nem quiser saber delas, não vai ser incomodado, como hoje é por abóboras, esqueletos, fantasmas e bruxas que em outubro saem do além, dos cemitérios e sei lá mais de onde e invadem o comércio, as escolas e as ruas de São Paulo.

Queria muito continuar vivendo com a certeza de que Halloween, só mesmo em história em quadrinhos. E se essa festa boba continuar a dar as caras por aqui, vou fazer um adesivo para o meu carro “Eu odeio Halloween”, que é para espantar as bruxas.

 

Li Aqui

2 Respostas to “Eu odeio Halloween”

  1. gabriel martins Says:

    eu concordo com isso que a escrito,porque o Halloween e uma cultura dos americanos não nossa,então eles que comemorem não os brasileiros se não agente taria tirando a nossa cultura e botando a cultura estrangeira.O Brasil e um país próprio então agente brasileiros temos a nossa própria cultura,anucer que o Brasil virou bucha do Estados Unidos.E isso galera

  2. não gosto dessa copia da cultura americana,que na verdade nem é americana…

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: