Cheiro de Goiaba

Conversas de Gabriel García Márquez com Plinio Apuleyo Mendoza

“O casamento, como a vida inteira, é alguma coisa de terrivelmente difícil, que é preciso tornar a começar desde o princípio todos os dias, e todos os dias da nossa vida. O esforço é constante e inclusive estafante, muitas vezes, mas vale a pena. Um personagem de um romance meu diz isso de uma maneira mais crua: “O amor também se aprende.”

 “- Minhas relações com os meus filhos são excepcionalmente boas, como você diz, pelo mesmo que lhe disse da amizade. Por mais consternado, exaltado, distraído ou cansado que esteja, sempre tive tempo para falar com os meus filhos, para estar com eles, desde que nasceram. Na nossa casa, desde que os nossos filhos têm o uso da razão, todas as decisões são discutidas e resolvidas em comum acordo. Tudo se conduz com quatro cabeças. Não faço isso por sistema, nem porque pense que é um método melhor ou pior, mas sim porque descobri de repente, quando os meus filhos começaram a crescer, que a minha verdadeira vocação é de pai: gosto de ser, a experiência mais apaixonante da minha vida foi a de ajudar os meus dois filhos a crescerem e acho que o que fiz melhor na vida não são os meus livros e sim os meus filhos. São como dois amigos nossos, mas criados por nós mesmos.

– Você divide os seus problemas com eles? 

– Se os meus problemas são grandes, tento dividi-los com a Mercedes e com os meus filhos. Se são muito grandes, é provável que recorra também a algum amigo que possa me ajudar com as suas luzes. Mas se são grandes demais, não consulto ninguém. Em parte por pudor e em parte para não passar para a Mercedes e para os meus filhos, e eventualmente para algum amigo, uma preocupação adicional. De modo que os engulo sozinho. O resultado, é claro, é uma úlcera de duodeno que funciona como um sinal de alarme e com a qual tive que aprender a viver, como se fosse uma amante secreta, difícil e às vezes dolorosa, mas impossível de esquecer.”

 “Os dois filhos do casal, Rodrigo e Gonzalo, têm com o pai uma relação excelente: cúmplice e sempre com um rastro de humor de parte a parte. “Onde está o famoso escritor?” brincam ao chegar em casa. Nos países latino-americanos, onde os ricos não têm respeito pelos pobres, nem os brancos pelos pretos, nem os pais pelos filhos, a experiência realizada por Gabriel se situa na direção contrária. Nenhuma explosão de fácil autoridade com os dois rapazes, mas sim um tratamento de rigorosa igualdade quase desde que estavam no berço. O resultado é muito aceitável: donos das suas próprias opções, os dois encaram as pessoas e a vida em geral com uma boa dose de inteligência e humor.”

Livia D-X

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: